ASSP Guimarães “troca por miúdos” conceitos complexos

PorFórum

ASSP Guimarães “troca por miúdos” conceitos complexos

A Delegação de Guimarães da Associação de Solidariedade Social dos Professores (ASSP Guimarães) e a Plural&Singular, marca gerida pelo Núcleo de Inclusão, Comunicação e Media, apostam no desenvolvimento do projeto “Trocar por miúdos – Eu, o outro e o mundo”- conceitos complexos explicados às crianças e jovens” e vão desenvolver em julho 10 sessões dirigida ao público infantojuvenil que frequenta as atividades de tempos livres nas férias de verão.

“Trocar por Miúdos” as dificuldades que as crianças e jovens têm para se apresentarem, à imagem do que acontece com muitos adultos, é o ponto de partida destas sessões de um projeto que a Plural&Singular identificou necessário para explicar vários conceitos complexos às crianças e jovens, nomeadamente, os termos que são abordados nas formações desenvolvidas pelo Núcleo de Inclusão. “As temáticas das formações da nossa organização focam muito a utilização correta da linguagem e apontam para a forma mais inclusiva de comunicar, mas na hora de explicar as palavras-chave utilizadas às crianças e jovens percebemos que a abordagem teria que ser outra”, explica a coordenadora do projeto da Plural&Singular, Sofia Pires.

Nesta iniciativa, a ASSP Guimarães identificou “uma ferramenta inovadora e criativa para abordar conceitos complexos juntos de públicos mais jovens” e enquadrou o desenvolvimento destas sessões “no eixo do Apoio à Educação do projeto ASSP’ XL, que se dedica à educação não formal de crianças e jovens e à dinamização de atividades de tempos livres”. “Ao ler o projeto percebemos que partilhamos muitos objetivos, tais como, desenvolver a consciência social e a empatia, promover a tomada de decisões construtivas e sustentáveis, entre outros”, comenta a psicóloga da ASSP Guimarães, Virgínia Martins. “O ‘Trocar por miúdos’ tem a vantagem de nos oferecer uma metodologia lúdica, prática e aglutinadora de um conjunto de temáticas, facilitando em grande medida o sucesso e alcance desses objetivos”, acrescenta.

Foi com o intuito de agarrar este desafio que o projeto “Trocar por miúdos – Eu, o outro e o mundo” foi criado. Porque, segundo a organização, à medida que se desenhava a melhor maneira de explicar conceitos como a inclusão, a equidade e a diversidade, identificou-se a necessidade de interligar outras dimensões do “eu, do outro e do mundo” para que a dinâmica das próprias sessões conseguisse passar uma mensagem holística. “Estava a parecer muito redutor e até descontextualizado criar sessões, como inicialmente, estávamos a fazer, para explicar conceitos que nos pareciam apenas a parte de um todo que também identificámos como sendo necessário “descomplicar”, esclarece Sofia Pires.

É por isso que das 10 sessões que integram o “Trocar por Miúdos” existem três sessões por dimensão: “Eu”, “Eu e o outro” e “Eu, o outro e o mundo”, sendo que a décima sessão pretende interligar estas três dimensões, fazendo com que as crianças e os jovens reconheçam que têm direitos e responsabilidades, devem demonstrar solidariedade com as outras pessoas e devem estar preparados para dar algo em troca à sociedade. “Acreditamos que nos pode ajudar a desenvolver competências pessoais e sociais nas crianças e nos jovens, potenciar as suas capacidades intelectuais e cognitivas e contribuir para que tenham os meios necessários para assumirem a sua cidadania de pleno direito”, concorda Virgínia Martins.

A potencial parceria com a ASSP Guimarães foi desde logo identificada pelo Núcleo de Inclusão por reconhecer o dinamismo desta entidade e por acreditar que tinha o perfil ideal para identificar as mais-valias deste projeto. “Foi o que aconteceu e tal como a ASSP de Guimarães, também a Plural&Singular não gosta de trabalhar sozinha. Nesse sentido, vamos avançar também em julho com o programa completo das 10 sessões”, adiantou Sofia Pires. “Consideramos que a nossa missão está alinhada com a missão do Núcleo de Inclusão. Esta parceria junta diferentes saberes o que enriquecerá, com toda a certeza, a dinamização das ações e respetivos resultados”, completa.

As ações decorrem a partir do mês de julho, das 10h00 às 12h00. A um ritmo de duas por semana e são dirigidas a um grupo heterogéneo, que alberga crianças do 1.º ao 6.º anos de escolaridade, o que constitui um desafio acrescido para o desenvolvimento da atividade. “Aceitámos o repto e vamos, certamente, aprender tanto ou mais do que o que pretendemos ensinar”, conclui Sofia Pires.

Sobre o autor

Fórum editor

O Fórum Municipal das Pessoas com Deficiência é um órgão informal de debate, de consulta e informação que funciona com o apoio da Divisão da Ação Social da Câmara Municipal de Guimarães e que, em 2018, completa 15 anos de existência. Composto por representantes de associações e instituições públicas e privadas, pessoas com deficiência e respetivos representantes o Fórum assume como principais funções a promoção e organização de debates temáticos e de ações e projetos de interesse para as pessoas com deficiência, assim como a apresentação de propostas e sugestões dirigidas a este público. Podem fazer parte do Fórum associações e instituições públicas e privadas, com personalidade jurídica, pessoas com deficiência e seus representantes. Os membros devem ser registados.

Deixar uma resposta